Ícone do site Tribuna do Juruá

Pedestres são ignorados pela maioria dos condutores de veículos de Cruzeiro do Sul

Entre as infrações de trânsito mais comuns está o desrespeito a sinalização, principalmente em locais onde não existe fiscalização.

Apesar da cidade já estar bastante sinalizada, os motorista ainda ignoram as placas de limite de velocidade, ultrapassam em local não permitido e muitos passam no sinal vermelho colocando em risco a vida de pedestres e de outros condutores.

A imprudência nas ruas da cidade já resultou em 13 mortes só este ano.  A vítima fatal mais recente foi a aposentada Terezinha Batista da Silva, 68 anos, atropelada por uma motocicleta quando atravessava  na faixa de pedestre  na  Avenida Mâncio Lima.

Na manhã de quinta-feira, (15) nossa reportagem constatou em um cruzamento no centro da cidade, que mais de 60% dos motoristas que passavam no local naquele momento, não respeitaram o pedestre, mesmo atravessando na faixa.

Muitos motoristas só respeitam o direito do pedestre em locais onde tem a presença de um educador de trânsito do Detran. O aposentado João de França, 81 anos, ainda consegue caminhar sem ajuda, mas afirma que já teve que correr várias vezes para atravessar a rua, a tempo de não ser atropelado.

Segundo o aposentado, são poucos os motoristas que respeitam o pedestre quando ele esta sobre a faixa. “A maioria não ta nem aí, por mais que a pessoa esteja na faixa, eles não reduzem a velocidade e vão embora. Ainda respeitam a faixa de pedestre onde tem semáforo”, diz o aposentado.

O taxista, Jonas Vieira Ferreira, 71 anos, com 25 de profissão afirma que nunca se envolveu em acidentes, mas costuma presenciar várias situações de imprudência. Jonas se considera um motorista responsável e afirma que sempre dirigiu com cuidado e respeitando as outras pessoas que estão no trânsito.

O diretor da Primeira Ciretran, Valdecir Dantas, avalia que falta consciência por parte dos motoristas, principalmente dos motociclistas. Dantas garante que Cruzeiro do Sul nunca teve um trabalho de educação de trânsito tão intenso como atualmente, são 16 agentes de educação diariamente nas ruas.

Na Avenida Mâncio Lima, onde existe uma grande incidência de motoristas trafegando em altíssima velocidade e até rachas no final da tarde e início da noite, o Detran vai  estender  a fiscalização até às 21 horas, todas as noites. Valdecir explica que é inaceitável que um motorista trafegue numa avenida onde há uma grande movimentação de pessoas em alta velocidade.

[nggallery id=42]

www.tribunadojurua.com – Francisco Rocha

Sair da versão mobile